Cabo mira em João e acerta no capitão; por Adriana Bezerra

Por Fonte83 - 18/01/2021

O cabo deputado Gilberto Silva definitivamente não é um desertor da trincheira bolsonarista.

Nem o negacionismo letal.

Nem a briga contra a vacina e a asfixia nacional.

Nem mesmo a cara de paisagem denunciando a ausência de reconhecimento do capitão no vexatório encontro em Campina Grande…

Nada inibe o cabo de seguir cego de lógica o seu mito.

Talvez porque sejam produtos da mesma matéria.

Certamente porque são afeitos às mesmas práticas.

Ambos mentem.

As mentiras do capitão já renderam mais de 209 mil mortos.

As do cabo planejam terceirizar para o governo João Azevedo a responsabilidade pelo genocídio em curso.

O cabo, porém, é ruim de mira.

Mais uma vez ele tentou acertar João ao “denunciar”, em suas redes sociais, que o governo estadual estaria priorizando a população carcerária em detrimento dos cidadãos que estão fora dos muros dos presídios, lutando contra o Coronavírus em ruas cada dia mais apinhadas.

Acertou em Bolsonaro e no ministro Pazuelo, os dois patetas que a história tratará como causa mortis de milhares de brasileiros – responsáveis, também, pelo plano nacional de vacinação contra a Covid-19, em que a população privada de liberdade figura no rol dos prioritários.

A mira do cabo é prejudicada pela ânsia de ser reconhecido.

E também pela ignorância.

A população carcerária sempre foi considerada prioritária nas campanhas nacionais de vacinação. A ação que começa na quarta-feira é um ctrl c ctrl v das antecessoras, parida às pressas por falta de melhor planejamento.

Talvez no próximo encontro o capitão reconheça o cabo.

Mas duvido que mereça uma continência.